Em conversa de madeireiros investigados, Saraiva é 'alvo a ser abatido'

Em conversa de madeireiros investigados, Saraiva é alvo a ser abatido
Reprodução/GloboNews

Alexandre Saraiva —retirado do comando da PF no Amazonas pelo atual diretor-geral, Paulo Maiurino, no dia em que apresentou notícia-crime contra Ricardo Salles— é citado em troca de mensagens de madeireiros investigados como “alvo a ser abatido”, informa o Painel da Folha.

Em 2 de setembro de 2019, o investigado Roberto Paulino encaminhou uma foto do delegado a um interlocutor de nome Guga, com os dizeres “alvo a ser abatido”.

O mesmo Paulino, em conversa com Humberto Jacob de Barros Oliveira, afirma sobre Saraiva: “Tem que pedir para o Júlio [pessoa não identificada] tirar esse cara daqui. Urgente”. “Ele vai quebrar todos”, responde Humberto.

As conversas integram o inquérito da Operação Arquímedes, responsável pela apreensão de 444 contêineres com madeira ilegal.

Segundo a PF, elas indicam que “todas as possibilidades para remover o superintendente da Polícia Federal no Amazonas estão sobre a mesa; em outros termos, caso as vias políticas e/ou judiciais e disciplinares não surtam efeito, não está descartado o uso da violência”.

Saraiva apresentou notícia-crime contra o ministro do Meio Ambiente por Salles defender a liberação do que a PF classifica como maior apreensão de madeira ilegal na história do país.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO