ACESSE

Em conversa gravada, miliciano diz que é ele quem dá o dinheiro para a polícia

Telegram

Em uma das conversas interceptadas pelo MP-RJ, no dia 15 de outubro de 2018, o miliciano Manoel de Brito Batista, conhecido como Cabelo diz que é ele quem dá o dinheiro para a polícia e que sabe quando eles iriam até o local em Rio das Pedras, informa o G1.

“Teve um Coroa lá no meio da rua quebrando concreto, eu já falei para vocês, só é para parar quando eu falar, sou eu que dou o negócio pro homem e vocês sabem mais do que eu, eu que levo o negócio pro homem, eu sei quando vem, pô”, reclama Cabelo, um dos presos na operação Os Intocáveis na terça-feira.

Em outro momento, ele diz, em 7 de novembro, que um policial do Comando de Policiamento Ambiental avisou que poderia ter alguma ação policial na região.

“Cabelo: Amanhã, o cara avisou lá do Cepan.

Voz masculina: Ham?

Cabelo: Acha que vai ter alguma coisa para cá, mas não tem certeza não.

Voz masculina: E aí?

Cabelo: Pode trabalhar, mas fica de olho, entendeu?

Voz masculina: Mas e esses caminhão tudo aí?

Cabelo: Não, ele falou que não tem muita certeza, não, porque não tem como ele saber porque eles falam que vão para um lugar e depois vão pra outro, entendeu?

Voz masculina: Disse que eles foram em Rio das Pedras hoje, será que vão lá de novo?

Cabelo: Falaram que, ele tem quase certeza que não é pra Muzema, é pro Rio das Pedras, entendeu?

Voz masculina: Amanhã, né?

Cabelo: É, estou falando para você ficar de olho.”

Escutas indicam que milícia era avisada sobre operações no Rio

Arte: O Antagonista

As reais intenções de Dilma e Cuba com o programa Mais Médicos. SAIBA MAIS AQUI

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 64 comentários