Em crítica à França, Brasil diz que acordo Mercosul-UE promove 'preservação da natureza'

Em crítica à França, Brasil diz que acordo Mercosul-UE promove preservação da natureza
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Para o governo Jair Bolsonaro, o fim do acordo entre Mercosul e União Europeia defendido pela França representa um “claro desincentivo” ao fortalecimento da legislação ambiental.

A manifestação foi feita em nota conjunta divulgada há pouco pelo Itamaraty e o Ministério da Agricultura. No texto, o Brasil rebate um relatório do governo francês que embasou a oposição do país ao acordo bilateral.

Segundo a França, a previsão de aumento na produção agropecuária, como a carne bovina, resultaria no aumento do desmatamento.

Na nota, o governo brasileiro afirmou que o relatório do governo francês não considera “critérios técnicos” e que o acordo não representa ameaça ao meio ambiente, à saúde humana e aos direitos sociais.

“A não entrada em vigor do Acordo Mercosul-UE passaria mensagem negativa e estabeleceria claro desincentivo aos esforços do país para fortalecer ainda mais sua legislação ambiental. A não aprovação do Acordo teria, ademais, implicações sociais e econômicas negativas, que poderiam agravar ainda mais os problemas ambientais da região.”

E complementa:

“Malogro em ratificá-lo implicará lacuna importante no fortalecimento da relação entre as partes e na reiteração de um livre comércio sustentável e responsável, que proporcionará prosperidade com preservação da natureza, resultante da melhoria das condições econômicas.”

Leia mais: Paralisia toma conta de áreas do governo responsáveis por ações vitais para o país. Clique para ler mais
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 20 comentários
TOPO