Em depoimento, Flávio Bolsonaro voltou a negar ter sido avisado de operação

O Jornal Nacional obteve acesso ao depoimento de Flávio Bolsonaro ao MPF no dia 20 de julho, em que o senador foi questionado, em seu gabinete, sobre as acusações de vazamento da Operação Furna da Onça.

Segundo Paulo Marinho, ex-bolsonarista e suplente de Flávio no Senado, o filho 01 de Bolsonaro foi avisado da operação que revelou movimentações financeiras suspeitas em gabinetes da Alerj –inclusive de Fabrício Queiroz.

O procurador Eduardo Benones mostrou a Flávio trechos do depoimento de Marinho, segundo o qual o vazamento teria partido de um delegado da PF. O senador se irritou: “Vou ter que ficar ouvindo isso aqui cinco horas? Não vou aguentar, com todo o respeito, doutor”.

Em seguida, Flávio confirmou ter pedido uma reunião com Marinho em 13 de dezembro de 2018, na casa do empresário, por causa do noticiário sobre as “movimentações atípicas” de Queiroz.

Mas alegou que queria apenas a indicação de um advogado, por Marinho ser “uma pessoa bem relacionada no mundo jurídico”. E voltou a negar que tenha sabido da operação com antecedência.

Paulo Marinho afirma que, em razão do suposto vazamento, Queiroz foi demitido do gabinete de Flávio na Assembleia do Rio e sua filha Nathalia, do gabinete do ainda deputado federal Jair Bolsonaro.

Leia mais: Combo O Antagonista e Crusoé: comece a ler por apenas R$ 1,90/mês
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 30 comentários
TOPO