Em resposta ao STF, Lira vai alegar que Constituição não estipula prazo para análise de impeachment

Em resposta ao STF, Lira vai alegar que Constituição não estipula prazo para análise de impeachment
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Em resposta a uma decisão da ministra do STF Cármen Lúcia, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), vai alegar que a Constituição não estipula prazo para análise de pedidos de impeachment impetrados contra o presidente da República.

Ontem, a ministra deu um prazo de cinco dias para que Lira explique a não abertura dos processos de impeachment contra Bolsonaro. A tendência é que o presidente da Câmara responda ao STF até a próxima terça-feira.

Na peça que ainda está sendo elaborada, Lira vai argumentar também que seu antecessor, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), não deu seguimento aos pedidos de impedimento que chegaram para ele.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO