Em setembro de 2020, Pfizer pediu celeridade ao governo brasileiro

Em setembro de 2020, Pfizer pediu celeridade ao governo brasileiro
Fonte: Pixabay

A CNN Brasil divulgou trechos de uma carta enviada pelo CEO mundial da Pfizer, Abert Bourla, a Jair Bolsonaro e ministros brasileiros em setembro do ano passado.

No texto, a farmacêutica pediu que o governo fosse célere em fechar negócio, em razão da demanda mundial crescente.

Um trecho da carta dizia o seguinte:

“A potencial vacina da Pfizer e da BioNTech é uma opção muito promissora para ajudar seu governo a mitigar esta pandemia. Quero fazer todos os esforços possíveis para garantir que doses de nossa futura vacina sejam reservadas para a população brasileira, porém celeridade é crucial devido à alta demanda de outros países e ao número limitado de doses em 2020.”

O governo Bolsonaro ignorou a vacina da Pfizer, inicialmente com a avaliação de que as condições de armazenagem e distribuição não se adequariam à realidade do país.

Leia mais: A causa desse desgoverno é política, como mostra a Crusoé desta semana.
Mais notícias
TOPO