ACESSE

Embaixada de Israel pede para Holocausto ficar 'à margem' da discussão política brasileira

Telegram

A Embaixada de Israel no Brasil pediu nesta quinta-feira (28) para o Holocausto ficar “à margem” da discussão política e ideológica brasileira.

“Houve um aumento da frequência de uso do Holocausto no discurso público, que de forma não intencional banaliza sua memória e a tragédia do povo judeu. Pela amizade forte de 72 anos entre nossos países, pedimos que a questão do Holocausto fique à margem da política e ideologias.”

Como mostramos, Abraham Weintraub comparou ontem a operação da Polícia Federal contra bolsonaristas ao nazismo. “Hoje foi o dia da infâmia, VERGONHA NACIONAL, e será lembrado como a Noite dos Cristais brasileira. Profanaram nossos lares e estão nos sufocando. Sabem o que a grande imprensa oligarca/socialista dirá? SIEG HEIL!”

O cônsul-geral de Israel em São Paulo, Alon Lavi, condenou a comparação. “[O Holocausto] Jamais poderá ser comparado com qualquer realidade politica no mundo.”

Leia também: Bolsonaro mandou investigar Witzel?

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 33 comentários