Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Embaixador diz que Crivella na África do Sul tem "potencial de gerar novos escândalos"

Paulo Roberto de Almeida lembra que país africano "é a base financeira dos negócios de lavagem de dinheiro na África"
Embaixador diz que Crivella na África do Sul tem “potencial de gerar novos escândalos”
Reprodução

Em entrevista à Crusoé, o embaixador Paulo Roberto de Almeida disse achar pouco provável que a Comissão de Relações Exteriores do Senado aprove a indicação de Marcelo Crivella como embaixador na África do Sul e alerta para o risco de que a imagem do Brasil fique ainda mais arranhada.

“Crivella poderia se envolver nos negócios africanos da Universal, com o potencial de gerar novos escândalos”, diz. Para o diplomata, essa indicação é “absolutamente estranha”.

“Na verdade, o assunto dele é Angola, onde há pendências entre as autoridades locais e sua instituição religiosa. Sabe-se que há muita lavagem de dinheiro com destino à África do Sul. Isso foi revelado porque um dos brasileiros que trabalhavam em Luanda teve um acidente na estrada. A polícia encontrou 60 milhões de dólares no seu automóvel. Então, é comum que carros atravessem a Namíbia levando dinheiro para a África do Sul. Claro, o Crivella gostaria que o governo desse uma cobertura total para os negócios da Universal. Ele não poderia ir para Angola, porque há uma pendência judicial contra ele. Então Bolsonaro fez algo muito estranho, que é designar um bispo que não pode sair do Brasil, que foi preso em dezembro, para ser o embaixador na África do Sul, onde ele poderia atuar. Mas a África do Sul é a base financeira dos negócios de lavagem de dinheiro na África, que envia dinheiro para paraísos fiscais. Seria muito estranho ter um embaixador não do Brasil, mas da Igreja Universal, na África do Sul.”

Leia a íntegra da entrevista na Crusoé, assine a revista e apoie o jornalismo independente.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO