Emendas extras liberadas pelo governo beneficiam aliados de Bolsonaro

Emendas extras liberadas pelo governo beneficiam aliados de Bolsonaro
Reprodução/Facebook/Jair Bolsonaro

O Antagonista revelou mais cedo que o governo de Jair Bolsonaro vai repassar mais de R$ 630 milhões em emendas extras para estados e municípios, dentro da estratégia de angariar votos para eleger Arthur Lira e Rodrigo Pacheco para o comando do Congresso.

Uma análise detalhada das planilhas com os valores para cada município levanta suspeitas sobre o uso real desses recursos, especialmente quando os repasses aparecem bem acima da média.

O maior valor será destinado a São Gonçalo, do Capitão Nelson, que receberá do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) mais de R$ 48,8 milhões.

Durante sua campanha, Nelson recebeu apoio direto de Bolsonaro, e do deputado federal Carlos Jordy (PSL), vice-líder do governo na Câmara, e dos deputados estaduais Felipe Poubel (PSL) e Anderson Moraes (PSL).

Duque de Caxias vem logo atrás com quase R$ 30 milhões do MDR e do Ministério do Turismo. O município da Baixada Fluminense é controlado por Washington Reis (MDB), cujo filho Gutemberg Reis é deputado federal e aliado de Flávio Bolsonaro.

Outro repasse que chama atenção é o de R$ 15,8 milhões do MDR para o município de Barrinha, que tem como vice-prefeita Fabiana Barroso, filha de Adilson Barroso, dono do Patriota, partido que se prepara para receber a filiação de Bolsonaro.

Em São Paulo, também há emenda de R$ 3,4 milhões para a Ceagesp, presidida pelo coronel Ricardo Mello Araújo, ex-comandante da Rota e apadrinhado de Bolsonaro.

A planilha registra ainda R$ 19,5 milhões do MDR para João Pessoa, cujo prefeito Cícero Lucena (PP) está trocando o apoio de Aguinaldo Ribeiro pelo de Wellington Roberto (PL), um dos homens fortes do Centrão no governo Bolsonaro.

Outro município paraibano, Patos foi contemplado com R$ 15 milhões (MDR+MTur). O Prefeito é Nabor Wanderley, pai do deputado Hugo Motta, aliado governo Bolsonaro e que será o líder do Republicanos na Câmara.

O estado de Pernambuco recebeu incríveis R$ 14,3 milhões do Ministério da Agricultura, no momento em que Paulo Câmara (PSB) é cortejado por Arthur Lira e Baleia Rossi. A capital Recife, cujo prefeito é João Henrique Campos, recebeu R$ 8,6 milhões do Turismo, quase o mesmo que Garanhuns (R$ 7,8 milhões), de Silvado Albino.

Em Tocantins, o município de Pindorama será beneficiado com R$ 8,6 milhões do Ministério do Turismo.

O prefeito é Thiago Tapajós Alves de Oliveira (PL), filho do ex-senador Vincentinho Alves, secretário nacional de infraestrutura turística do MTur. A nomeação foi uma articulação do senador Eduardo Gomes (MDB), líder do governo, e do deputado Vincentinho Jr.

O MDR enviou ainda R$ 5,7 milhões em emendas extras para Santana, no Amapá, cujo prefeito Bala Rocha (PP) é aliado de Davi Alcolumbre.

Alagoas, estado natal de Arthur Lira, também aparece contemplado com R$ 3,83 milhões para  Maceió, R$ 2,87 milhões para Palmeira dos Índios e R$ 1,9 milhões para Coruripe, entre outros.

A lista é imensa, mas vale registrar ainda os repasses para o município piauiense São Raimundo Nonato (R$ 5,5 milhões), a paranaense Maringá (R$ 4,3 milhões) e os maranhenses Newton Bello (R$ 3,8 milhões) e Passagem Franca (R$ 4,7 milhões).

Leia mais: O impeachment de Bolsonaro entra na agenda.
Mais notícias
TOPO