Emílio disse, sim, que havia um conta corrente de 300 milhões

No depoimento prestado em abril, Emílio Odebrecht pode não ter entrado em detalhes sobre a reunião do “pacto de sangue” com Lula, mas confirmou que o PT tinha uma conta corrente de 300 milhões de reais com a Odebrecht — como havia dito Marcelo, o seu filho.

E Emílio deixou claro, também, que a reforma do sítio em Atibaia fazia parte do pacote.

Só falta ele reconhecer que falou explicitamente em 300 milhões de reais com Lula, para garantir os benefícios acertados com a Lava Jato. Porque Emílio falou, como revelou Antonio Palocci.

20 comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200

  1. Para compreender a alma de um petista recomendo a leitura do excelente artigo do Clóvis Rossi na Folha de SP de hj – “A seita PT não pode duvidar da santidade de seu profeta”

  2. Esse velho safado, o amigão do Lulladrão, tinha que pegar alguns anos de cadeia de preferência junto com ele. Passou a corrupção para seu filho Marcelo e até agora só ele é que sofreu as consequências de toda a corrupção da empresa Odebrecht. Além disso devolver um trilhão de reais, que foi mais ou menos o que roubou do Brasil, nestes anos todos de roubalheira desenfreada. Queria ver se o seu sorriso seria permanente, também na cadeia!

  3. O coroa acostumado a comprar todo mundo, do mesmo jeito que o velho açougueiro de Brasília, que ensinou os filhos a corromperem, agora pode sentir na espinha o frio de décadas de sacanagem, como o filho dele tá sentindo.
    Corre ‘Brahma’, corre, ainda dá tempo de entregar alguma coisa. Personagens internacionais e quem sabe até religiosos. Né não? Cê sabe que rola isso, viu?

    1. Realmente, Lula venceu!!! Venceu a corrida para ver quem chega primeiro no xadrez, seu petista ignorante ou cego que não quer enxergar!

    2. Petista sempre com o mesmo discurso…
      Desde qdo ladrão corrupto assina recibo, ô “ixperto”? Desde qdo testemunho in loco de envolvidos diretos em crimes não é prova? Ainda mais qdo VÁRIOS dizem e narram o MESMO FATO?
      E “fio”… Se ser condenado a mais de 9 anos de prisão e ser réu em mais 5 ações, com mais condenações por vir, e outras a serem confirmadas, é vencer, não quero nem ver qdo o 9 dedos perder…
      Aliás… Quero ver, sim! E comemorar muito!

    3. Se é para debater no campo das nas ideias, então valos lá. Existem vários tipos de prova, que podem ser testemunhal, documental, depoimento pessoal, exibição de documentos. Uma delas, é a ocultação de patrimônio por exemplo. Ter um imóvel e/ou dinheiro seu em nome de terceiros não significa que o meliante esteja isento de responsabilidade, uma vez que pode caracterizar ocultação e evasão de divisas, uma vez que não foi declarada à receita federal. Mas sabem como é, PETISTA FANÁTICO SÓ QUEREM SABER DA ” CAUSA “, NÃO IMPORTANDO OS CRIMES COMETIDOS E AS PROVAS COLHIDAS CONTRA O DEUS-LULA. OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS, NÃO É VERDADE FANÁTICO PELO LULA. VÁ ESTUDAR MAIS, CIDADÃO, E PARE DE FICAR PROPAGANDO MARX PARA CIMA E PARA BAIXO, SEM SEQUER TER NOÇÃO DA INCONGRUÊNCIA QUE O CONTEXTO E O TERMO “MAIS VALIA” ESTÁ INSERIDO NOS DIAS DE HOJE. POR OUTRO LADO, SENDO O PROLETARIADO EXPLORADO PELOS BANQUEIROS, COMO VOCÊ EXPLICA A FRASE DO LULA” NUNCA OS BANQUEIROS GANHARAM TANTO DINHEIRO COMO EM MEU GOVERNO”…OPSS… OS EXPLORADORES DO PROLETARIADO JUNTO E MISTURADO AO DEUS- DA JUSTIÇA SOCIAL E ECONÔMICA DOS POBRES E OPRIMIDOS? VÁ CONTAR OUTRA, CIDADÃO, POIS VOCÊS NÃO ENGANAM MAISSSSSSSS NNINGUÉMMMMMMM! PROVAS É O QUE NÃO FALTAM E PRISÃO DE SEU DEUS-LULA É APENAS UMA QUESTÃO DE TEMPO. O BRASIL FICARÁ EM FESTA QUANDO O LULA FOR EM CANA.

    4. Ler petista falando em legalidade tem o mesmo teor de credibilidade que teria Roger Abdelmassy advogando contra o estupro ou Mao Tsé Tung sobre direitos humanos.

  4. Quando o rábula engomadinho do Ratão, após a audiência de Palocci, veio dizendo que Emílio havia negado, a GloboNews pôs no ar o velho falando exatamente dos 300 milhões. Ainda disse que procurassem Novis – quando era Novis o presidente – e Marcelo – quando era Marcelo o presidente, para os acertos.