Emílio Odebrecht ameaçou Dilma

Da última edição da Veja, ainda dirigida por Eurípedes Alcântara: no início de 2015, Fernando Pimentel foi ao Palácio do Planalto, para transmitir um recado de Emílio Odebrecht a Dilma Rousseff.

De acordo com a revista, Emílio Odebrecht adveritu a presidente da República “do risco de que os pagamentos feitos pela Odebrecht ao marqueteiro João Santana, no exterior, fossem descobertos caso a Operação Lava-Jato atingisse a construtora”.

O aviso era acompanhado de uma exigência:

“Emílio exigia blindagem, principalmente para evitar a prisão do filho Marcelo Odebrecht, sob pena de revelar às autoridades detalhes do esquema ilegal de financiamento da campanha à reeleição.”

O que fez Dlima?

“Diante da ameaça de retaliação, Dilma cobrou explicações de seus assessores. Deu-se, então, o ritual de negação encenado com frequência em seu governo. Como no caso da economia, cujo desmantelo foi rechaçado durante meses a fio, os auxiliares disseram que a petista havia conquistado o segundo mandato com dinheiro limpo e declarado. Tudo dentro da lei. A ‘faxineira ética’, portanto, não teria com o que se preocupar.”

A farsa começou a desmoronar de vez com a prisão do Feira e da Xepa.

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200