Empreiteiras corruptoras perdem 55 bilhões de reais

“As seis maiores empreiteiras brasileiras perderam 55 bilhões de reais em faturamento desde 2015”, diz o Estadão.

A reportagem trata as perdas de Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, Mendes Júnior e Constran como algo preocupante.

Preocupante seria se, depois da Lava Jato, essas empreiteiras continuassem do mesmo tamanho.

 

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 17 comentários
  1. Empresa envolvida em corrupção deveria ter o CNPJ cassado e seus sócios – diretores ou controladores serem proibidos de abrir novas empresas.
    Tem mais é que se ferrarem………….

  2. Matéria imbecil essa, dos 55 bilhões, qual percentual teria ido aos bolsos do PT, MDB, PSDB, PP?
    só faltou dizer que a Lava Jato causou a crise econômica nos partidos políticos.

  3. Notícia maliciosa do Estadão, dando a entender que a Lava Jato detonou grandes empresas brasileiras, aliás, opinião partilhada por muitos idiotas que preferiam ver essas empresas “prósperas”, não importando se através de superfaturamento, de dinheiro público roubado.
    Essa é a mentalidade brasileira.

  4. E o que querem com essa reportagem? Que para o bem do Brasil deixassem as empreiteiras em paz? Não há perdas nessa história, obras não param, se uma empreiteira não foi contratada, outras menores é que estão tocando estas obras, e boa parte delas são “laranjas” dessas grandes, só com nome diferente.

  5. Os ativos das empreiteiras envolvidas na java-jato, subtraídos os passivos, deveriam ser transferidos para o patrimônio da Petrobras, Eletrobras, etc sem qualquer tipo de ressarcimento a título de reparação.

  6. O Antagonista parece não lembrar de ter feito post recentíssimo – certamente como forma de jogar a culpa no governo – intitulado “Construção civil naufraga” , bem como “esquece” que este setor representa cerca de 1.3 milhões de empregos diretos e indiretos no Brasil…

  7. Ao redor de 98, a Andrade Gutierrez e os diretores do Porto de Santos, Marcelo Azeredo e outros, fizeram 6 aditivos irregulares a um projeto. Total 144 milhões de reais desviados. Hoje, beira 1 bi. RESPEITABILÍSSIMOS!

    1. Esse inquérito é o do irmão do Edgard, né? O “amigo de várias décadas”, né? RESPEITABILÍSSIMOS!!!