ACESSE

Empresa alvo da Calvário no MEC

Telegram

A Brink Mobil, alvo da Operação Calvário, conseguiu emplacar ao menos duas atas de registros de preço no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), para o fornecimento de material escolar.

Os pregões foram homologados pelo agora ex-presidente do FNDE, Rodrigo Sergio Dias (na véspera do Natal, Karine Silva dos Santos assumiu o cargo), e por seu antecessor, Carlos Alberto Decotelli. O registro de preço tem caráter vinculativo para futuras contratações.

Na Calvário, a Polícia Federal investiga o pagamento pela Brink de ao menos R$ 1,8 milhão em propina para obter contratos no governo de Ricardo Coutinho (PSB), na Paraíba.

A delatora Livânia Farias, ex-secretária de Administração, contou ao MP que o percentual de propina para a aquisição de kits escolares, livros, além de laboratórios de ciências e matemática, era de 15%.

"As universidades públicas brasileiras gastam demais e educam de menos." LEIA AQUI

Comentários

  • Carlos -

    Quem é o relator no STF? Beiçola Lacto Purga. Coutinho passará o réveillon tranquilamente em seu iate.

  • Caio -

    15% de 3 bilhões = 450 milhões em propina.

  • So -

    Aos amigos do rei, tudo!

Ler 11 comentários