Encontro marcado com Gilmar

Gilmar Mendes vai aproveitar as supostas mensagens roubadas a Sergio Moro para tentar impedir que outra Lava Jato surja no futuro.

Ele disse para o Estadão:

“Acho que se estimulou muito esse jogo de espertezas institucionais, nessa busca de atalhos em nome supostamente de um combate à criminalidade, da correção de rumos. A própria ideia de força-tarefa já é uma ideia distorcida – por que não operar com as próprias pessoas que lá estão? Acho que vamos ter uma grande evolução e um grande aprendizado a partir desses episódios. Todos nós vamos ficar mais preparados e a própria legislação que virá em decorrência desses fatos todos será muito mais realista e talvez mais precisa, evitando essa discricionalidade abusiva (…).

O corrupto é inocente e o ex-juiz é o suspeito? Será assim no STF? LEIA AQUI

Temos um encontro marcado com as prisões alongadas de Curitiba, com vários desses modelos. Até hoje temos muitas discussões em torno dos acordos e tal, direito das pessoas de eventualmente se defenderem, tudo isso agora precisará ser devidamente disciplinado e regulado.”

Comentários

  • José -

    Acredito que só no Brasil o STF é como o antigo programa "Cassino do Chacrinha" onde os ministros querem aparecer, cada um mais que o outro, como as vedetes que compunham o quadro de fundo do prog

  • Trinity -

    Nojent.o e repulsivo. Espero que esse inimigo do bem possa sair do STF. Em breve, se Deus quiser, pode ser que o país evolua.

  • Italo -

    Viva o senador Kajuru!!!!!

Ler 61 comentários