Entidade de energia limpa vê lobby de distribuidoras em meio à pandemia

O Instituto Nacional de Energia Limpa (Inel) acredita que o lobby das distribuidoras de energia elétrica não parou diante da pandemia do novo coronavírus.

Um recurso apresentado pelo senador Jean Paul Patres (PT) fará com que o projeto de lei que cria o marco regulatório para o setor elétrico tenha de ser debatido no plenário do Senado antes de seguir para a Câmara, o que é positivo, na avaliação do Inel.

A entidade acredita que a intenção das distribuidoras era avançar com a aprovação de medidas “que atenderiam apenas os seus interesses, em detrimento de outros setores, como o de energias limpas e renováveis”.

Leia também: Quem ganha com os arroubos de Bolsonaro?

Antes do recurso apresentado por Jean Paul Prates, o senador Alvaro Dias desistiu de iniciativa semelhante. Segundo ele, porém, sua decisão não teve nada a ver com eventual pressão das distribuidoras.

Dias comentou com O Antagonista:

“O projeto é de 2016: houve tempo suficiente para o debate, para a participação intensa de empresas de energia elétrica. Finalmente, ele acabou sendo aprovado na comissão terminativamente. Mas o projeto iria à Câmara ainda. Então, essa discussão continuaria lá. O processo legislativo é muito lento: você recorre ao plenário e o projeto fica aguardando a oportunidade ou a boa vontade de quem preside a Casa. Eu defendo a celeridade no processo legislativo. Por essa razão, deixei de apresentar os recursos, porque se constituiriam manobras protelatórias.”

Comentários

  • Sergio -

    Entendam: nada, NADA que vem do PT é bom. Esses marcos regulatórios que eles adoram só resultam em maior controle estatal e contas (ainda) mais caras.

  • 🔊Lemon -

    Conclusão: Os ladrões vão aumentar as tarifas elétricas e vamos ter que fazer GATOS E SAQUES!

  • Noely -

    Se citou o PT é porque é picaretagem, chumbo grosso nestes vadios.

Ler 9 comentários