Entre direita e extrema-direita

Fernando Haddad disse à Folha de S. Paulo que as próximas disputas eleitorais no Brasil devem ser entre direita e extrema-direita:

“A tendência é que também aqui direita e extrema-direita sejam o polo das próximas disputas. O desafio da esquerda é maior do que nunca. A gente nunca conviveu com uma situação tão adversa”.

O PT, para ele, acabou:

“A chance de o PT manter a hegemonia na esquerda é difícil. Vamos ver o que ocorre até 2018 em torno da candidatura do Ciro Gomes, se o Lula vai ser impedido de disputar”.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

  1. Fernando Haddad não deve ser tão burro assim, ele está propositalmente mentindo, visto que é sabido por todos que a direita não da o ar da graça a quase trinta anos, onde a esquerda em seus diversos viés tem sua hegemonia confirmada nos meios de comunicação, com cerca de 98% dos jornais, na educação, cultura, judiciário, sindicatos etc etc. pra se ter ideia dos 34 partidos políticos cerca de 25 são de extrema esquerda, esquerda ou centro esquerda, e apenas 9 pequenos partidos se identificam como de centro direita e direita, enquanto que não ha nenhum partido de extrema direita.

Ler mais comentários
  1. Fernando Haddad não deve ser tão burro assim, ele está propositalmente mentindo, visto que é sabido por todos que a direita não da o ar da graça a quase trinta anos, onde a esquerda em seus diversos viés tem sua hegemonia confirmada nos meios de comunicação, com cerca de 98% dos jornais, na educação, cultura, judiciário, sindicatos etc etc. pra se ter ideia dos 34 partidos políticos cerca de 25 são de extrema esquerda, esquerda ou centro esquerda, e apenas 9 pequenos partidos se identificam como de centro direita e direita, enquanto que não ha nenhum partido de extrema direita.