Entrega o Marcelinho, seu César

O Antagonista lê jornais com lupa. No meio de uma reportagem, pode estar escondida uma informação tão ou mais relevante do que o assunto principal.

Pois bem, na reportagem sobre os encontros de Lula e Okamotto com empreiteiros desesperados, o Estadão publicou que César Mata Pires, fundador da OAS, procurou Marcelo Odebrecht, presidente da dita-cuja, para saber como era possível que a empreiteira do menino não tivesse ninguém preso na Operação Lava Jato — ou seja, por honestidade é que não é.

Na conversa, César Mata Pires disse que não estava preocupado em salvar a própria pele, mas que não deixaria os seus herdeiros pagarem por “erros cometidos em equipe” — ou seja, por lambanças cometidas pela OAS em cumplicidade com a Odebrecht, que até agora vem se safando.

Seu César, é improvável que a Odebrecht vá dividir com a OAS esse patão a pagar. Entrega logo o Marcelinho, seu César.

Calma, César, a gente vai encontrar uma saída…