Ernesto sai, mas as ideias ficam

Ernesto sai, mas as ideias ficam
Foto: Adriano Machado/Crusoé

Ernesto Araújo deixou o comando do Ministério das Relações Exteriores, mas as ideias de seu sucessor Carlos França serão as mesmas, mostra Duda Teixeira na Crusoé desta semana.

“[Carlos] França seguirá sob a influência de Eduardo Bolsonaro e de Filipe Martins, que continua como assessor internacional da Presidência, apesar do gesto supremacista feito durante a audiência de Araújo no Senado. Como os dois chancelaram a indicação do novo ministro, é de se esperar que sua autonomia será relativa”, diz trecho da reportagem.

“[Carlos] França obedecerá sem discussão as ordens do presidente, que é quem define a política externa – e Bolsonaro já deu fartas demonstrações de que continua o mesmo. A imagem internacional do Brasil, assim, permanecerá manchada, tendo o presidente como seu principal símbolo”.

LEIA AQUI a reportagem completa na Crusoé.

Leia mais: Assine a Crusoé, a publicação que fiscaliza TODOS os poderes da República.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO