Escolha de funcionários da Havan na eleição foi espontânea, diz defesa de Bolsonaro

O advogado de Jair Bolsonaro no TSE, Tiago Ayres, rechaçou a acusação do PT de que o apoio público de Luciano Hang em favor do presidente eleito configuraria abuso de poder na campanha.

Disse que funcionários da Havan votaram de forma espontânea e que o empresário usou da liberdade de expressão.

“Deve-se levar em consideração para a configuração de abuso de poder, a gravidade das circunstâncias. Em que essa declaração teria comprometido a normalidade das eleições? Houve diferença de mais de 10 milhões de votos”.

Conheça as questões definidoras do futuro governo — e do Brasil AQUI

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

  1. Xavier disse:

    Abuso de poder foi o que levandovisk fez no avião mandando prender um cidadão que tem todo direito de reclamar dos serviços prestado pelo se funcionários Levandovisk

Ler comentários
  1. Chrisoula disse:

    A população votou de livre e espontânea vontade em Bolsonaro.

  2. VitorH disse:

    Óbvio que foi espontâneo. O que não é espontâneo foi o dinheiro roubado pelo PT utilizado na eleição.

  3. M disse:

    Absurdo,o Luciano emprega milhões de pessoas, o PT é uma desgraça, aceitem q o Brasil elegeu Bolsonaro de graça e com prazer,pq não julgam a campanha de Haddad ? 😈

  4. Louisc1 disse:

    Litigância de má fé dos PTralhas. A Havan tem 119 lojas em dezenas de municípios e o voto é Secreto, então ninguém tem condições de afirmar com absoluta certeza de que votaram ou não em B17

  5. Rosa disse:

    Sr. Luciano não cometeu nenhum crime. Ele com sua vontade de escolher o melhor, manifestou sua opinião para seus empregados.

  6. Lúcia disse:

    Que argumento! Se a diferença fosse de poucos votos, aí sim haveria abuso. Aff.