Escolha de funcionários da Havan na eleição foi espontânea, diz defesa de Bolsonaro

O advogado de Jair Bolsonaro no TSE, Tiago Ayres, rechaçou a acusação do PT de que o apoio público de Luciano Hang em favor do presidente eleito configuraria abuso de poder na campanha.

Disse que funcionários da Havan votaram de forma espontânea e que o empresário usou da liberdade de expressão.

“Deve-se levar em consideração para a configuração de abuso de poder, a gravidade das circunstâncias. Em que essa declaração teria comprometido a normalidade das eleições? Houve diferença de mais de 10 milhões de votos”.

Conheça as questões definidoras do futuro governo — e do Brasil AQUI

Temas relacionados:

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 6 comentários
  1. Litigância de má fé dos PTralhas. A Havan tem 119 lojas em dezenas de municípios e o voto é Secreto, então ninguém tem condições de afirmar com absoluta certeza de que votaram ou não em B17