ESCRITÓRIO DA MULHER DE CABRAL RECEBEU 35 MILHÕES SUSPEITOS

Mulher de Sérgio Cabral, a advogada Adriana Ancelmo despertou a suspeita do MPF pelo “crescimento vertiginoso” de seu escritório “durante os dois mandatos de seu marido”.

Os procuradores citam, por exemplo, pagamentos feitos pela empresa Reginalves (R$ 1,1 milhão) e Hotel Portobello (R$ 845 mil). As mesmas empresas contrataram a LRG de Carlos Miranda e a SCF de Sérgio Cabral.

Eles também citam pagamentos de concessionárias ao escritório de Adriana: Metro-Rio (R$ 1,9 milhão), CEG (865 mil), Oi/Telemar (R$ 10,5 milhões) e Light (R$ 3,6 milhões).

Não é só. O escritório da mulher de Cabral recebeu R$ 1 milhão da EBX Holding, R$ 726,5 mil do Banco Schahin, R$ 2,12 milhões da Braskem e R$ 13 milhões da Fecomércio.