Esdrúxulo, louco e criminoso

Esdrúxulo, louco e criminoso
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os secretários estaduais de Saúde “reagiram com espanto” ao ofício enviado pelo governo de Jair Bolsonaro à prefeitura de Manaus, pressionando-a a oferecer tratamento precoce da Covid-19 com cloroquina e ivermectina.

Segundo a Folha de S. Paulo, os secretários “classificam o documento como ‘esdrúxulo’, ‘loucura’, e dizem que, enquanto o mundo discute a vacina, o Brasil fala em remédios que não funcionam”.

Sim, é esdrúxulo e louco – mas é também criminoso.

Leia mais: Nenhum assunto é tabu para a Crusoé: além de fiscalizar TODOS os poderes, a revista tenta responder a questões que permeiam a sociedade brasileira
Mais notícias
TOPO