À espera do manual de delação

Orientados por grandes bancas de advocacia, investigados na Lava Jato esperam que a PGR finalize o manual de delação premiada antes de iniciarem conversas com os investigadores, informa a coluna Expresso, da Época.

“Os investigados querem entender como poderão ser beneficiados pelas novas regras caso topem entrar num acordo de colaboração.”

O “manual de delação” da PGR

Comentários temporariamente fechados.

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Ler mais 7 comentários
  1. A delação permite que peixes menores ajudem a Justiça a capturar o peixe grandão, cabeça da gatunice praticada em escala industrial. Geralmente, o poder judiciário nos países atrasados consegue punir o ladrão pobre, assim como a prostituta de parcas posses. Prostitutas e prostitutos pecuniosos devem acreditar que a lei não lhes diz respeito.
    Lidar com organizações criminosas de grande porte, como o Quadrilhão Multipartidário do Brasil, pressupõe a adoção de estratégia complexa, que tem na delação um insumo comprovadamente eficiente e eficaz. A fim de reduzir a mordida no seu rabo, o peixe pequeno aceita expor o mapa da ladroagem trilhado pelo peixe maior e seus sequazes. As empresas que creem na qualidade de seus serviços e produtos privilegiam a delação como meio de auditoria.

  2. Participando da Farra do Dinheiro Público temos também os advogados, que são pagos aos milhões com dinheiro do BNDES.
    É o maior mecanismo de lavagem do país.
    Dinheiro sujo fica puríssimo ao ser transferido para as grandes bancas de advocacia.