ACESSE

Esquerda tenta capitalizar coronavoucher

Telegram

A esquerda, claro, está reivindicando a paternidade da proposta do coronavoucher.

Desde o início da pandemia, diversos projetos sugerindo o pagamento de benefício para trabalhadores informais foram apresentados — alguns de deputados e senadores da esquerda.

O projeto de lei usado para incorporar as mudanças e que entrou na pauta foi o de autoria do deputado Eduardo Barbosa (PSDB).

Inicialmente, a equipe econômica do governo falou em R$ 200. O relator do projeto que avançou, deputado Marcelo Aro (PP), propôs R$ 500. E ontem, antes da votação na Câmara, o Congresso conseguiu acordar com o Executivo o valor aprovado, de R$ 600.

Leia também: Pandemia: como salvar vidas — e a economia.

Comentários

  • Isabel -

    Eles podem dar um milhão para cada brasileiro, que ninguém mais dá a mínima para o que falam ou fazem. Recebam o dinheiro e continuem na certeza de que eles são incompetentes e ladrões.

  • Ana -

    O PT foi um caos. Bolsonaro está sendo um caos. Felizmente, temos alguns ministro capacitados.

  • Teresa -

    Não importa a paternidade, ao final lembraremos somente dos que investiram no caos para sobreviver. Qdo o povo começar a perder seus familiares jamais esquece seus algozes.

Ler 30 comentários