“Está claríssima a menção que o presidente faz à PF”, diz ex-PGR

Telegram

Em entrevista à CNN, o ex-procurador-geral Claudio Fonteles afirmou neste sábado que o vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril deixou evidente a tentativa de Jair Bolsonaro de interferir na PF.

“O ato contra legem praticado pelo presidente Jair Bolsonaro foi a interferência na Polícia Federal, porque ela é um órgão de Estado. A Constituição a intitula não como uma polícia do Poder Executivo, mas sim como uma polícia judiciária. Está claríssima a menção que o presidente faz, ainda que por breves momentos, à PF. Para mim, os elementos estão bem claros para que se faça uma acusação pública.”

Comentários

  • egidio -

    Idiotas falam idiotices

  • JOSE -

    Só que mencionar a PF não é crime. É um Tuiuiú mesmo!

  • claudia -

    esta reunião vai ficar para história, nem conversa de botequim é de tão baixo nível como esta reunião, fico abismada uma pessoa que se diz cristão falar tantos palavrões, imagina como deve ser

Ler 195 comentários