Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

‘Está na cara que querem fraudar', repete Bolsonaro sobre eleições

Em conversa com apoiadores, presidente voltou a dizer que opositores do voto impresso querem adulterar resultado de pleito e defendeu manifestações pró-AI-5 como 'liberdade de expressão'
‘Está na cara que querem fraudar, repete Bolsonaro sobre eleições
Foto: Anderson Riedel/PR

Em conversa com apoiadores nesta segunda-feira (26) diante do Palácio da Alvorada, Jair Bolsonaro voltou a martelar a tecla de que houve fraude em eleições anteriores —sem apresentar nenhuma prova disso— e de que rejeitar o voto impresso é sinal de que querem fraudar o pleito de 2022.

“[A gente] não consegue entender por que os caras são contra uma maneira de você terminar as eleições e ninguém reclamar. Está na cara que querem fraudar. De novo. Geralmente, quem está no poder é que faz artimanhas. Eu estou fazendo justamente o contrário”, disse o presidente, que agora fala em “voto democrático” em vez de “voto auditável”.

Bolsonaro também defendeu como “liberdade de expressão” manifestações a favor do AI-5 e da alusão —distorcida— ao artigo 142 da Constituição, que alguns de seus apoiadores dizem respaldar uma intervenção militar (não respalda).

“O cara levanta uma placa: artigo 142. Ele é processado por causa disso? Então, vamos retirar o artigo 142 da Constituição”, sofismou o presidente. “O cara levanta uma placa do AI-5. AI é na Constituição anterior, não existe mais AI. (…) Você quer levantar um cartaz na rua pedindo aí pena de morte? Faça o que você bem entender. Isso é liberdade de expressão, está na Constituição. Eu respeito isso, outros não respeitam”, acrescentou, em indireta ao STF.

Como observou o Estadão, Bolsonaro só não disse que por sua ordem adversários do governo foram alvo de investigações com base na antiga Lei de Segurança Nacional —ordem cumprida por André Mendonça, que ganhou a indicação para a vaga de Marco Aurélio Mello no Supremo.

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO