"Estão tentando empurrar o cadáver do gabinete do ódio para mim", diz Joice

“Estão tentando empurrar o cadáver do gabinete do ódio para mim”, diz Joice
A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPI) das Fake News, que investiga a divulgação de notícias falsas nas redes sociais e assédio virtual, realiza oitiva decorrente do Requerimento nº 240/2019.rrMesa:rrelatora da CPMI das Fake News, deputada Lídice da Mata (PSB-BA);rpresidente da CPMI das Fake News, senador Angelo Coronel (PSD-BA);rdepoente deputada Joice Hasselmann (PSL-SP).rrBancada:rdeputada Luizianne Lins (PT-CE); rdeputado Carlos Jordy (PSL-RJ);rdeputado Filipe Barros (PSL-PR); rdeputada Carla Zambelli (PSL-SP).rrFoto: Geraldo Magela/Agência Senado

Para a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), a denúncia que a bancada bolsonarista fez contra ela “é uma tentativa desesperada de desviar o foco do gabinete do ódio”. “Fica muito claro que eles forjaram um dossiê misturando algumas informações verdadeiras com muitas informações falsas para jogar o cadáver do gabinete do ódio no meu colo”, afirma a deputada a O Antagonista.

“Estou curiosa para ver o andamento dessas denúncias. Pelo menos uns três bolsonaristas vão sair algemados”, afirma.

Os bolsonaristas acusam Joice, na PGR e na Comissão de Ética da Câmara, de criar perfis com CPFs falsos para atacar adversários políticos. Os bolsonaristas dizem que ela é quem comanda um “gabinete do ódio” contra aliados do presidente Jair Bolsonaro.

Joice nega. Segundo ela, foram criados perfis autênticos para defendê-la de “uma campanha de destruição de reputação”. Ela foi uma das principais denunciantes do “gabinete do ódio” original, comandado por um dos filhos do presidente, na CPMI das Fake News. “Agora quem vai à PGR e à Polícia Federal sou eu, porque quero perícia no meu celular para que se saiba o que é verdadeiro e o que é falso”, diz ela.

As denúncias contra a deputada foram divulgadas antes pela TV Record e pela CNN Brasil, e só depois foram enviadas à PGR e à Comissão de Ética da Câmara. “Vou processar a CNN e a Record por falsa imputação de crime”, garante.

Conforme noticiado por O Antagonista, Joice enviou ao Supremo notícia-crime contra Carla Zambelli. Ela acusa a companheira de partido de advocacia administrativa, tráfico de influência e constrangimento ilegal. “São crimes graves que dão cadeia”, comenta Joice.

“Estão tentando desviar o foco e cometeram vários crimes para isso. Empurraram a Polícia Federal para uma operação fajuta e uma das minhas assessoras incorruptíveis conseguiu gravar a Carla Zambelli na tentativa clara de comprá-la com um cargo na liderança”, diz Joice Hasselmann.

Leia também: O temor da cassação no Planalto
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO