Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

'Estatal do Centrão' nomeou seis parentes de deputados e senadores desde 2019

Juliana e Silva Nogueira Lima, irmã do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, aparece na lista dos nomeados em cargos de confiança da Codevasf
Estatal do Centrão nomeou seis parentes de deputados e senadores desde 2019
Foto: Isac Nóbrega/Ascom

Entregue por Bolsonaro ao Centrão, a estatal Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba), nomeou desde 2019 em cargos de confiança seis parentes de parlamentares que fazem parte da base de apoio do Planalto no Congresso, diz o Uol.

No total, são duas mulheres, dois filhos, uma irmã e um sogro de três deputados e dois senadores. Entre os nomeados, apenas a mulher do deputado federal Arthur Maia (DEM-BA), Andréa Velloso Maron Maia, deixou a estatal, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional. Ela trabalhou na Codevasf entre 10 de outubro de 2019 e 7 de julho de 2021 no cargo de assessora do presidente da empresa, Marcelo Andrade Moreira Pinto. No ano passado, Andréa trabalhou no escritório de representação da estatal em Salvador. No entanto, o pai dela (e sogro de Arthur Maia), André de Menezes Maron, aparece como nomeado em julho de 2021 no Portal da Transparência.

Segundo a reportagem do Uol, também aparecem na lista a irmã do atual ministro-chefe da Casa Civil e senador licenciado, Ciro Nogueira (PP-PI), Juliana e Silva Nogueira Lima; a mulher do deputado Hugo Motta (PRB-PB), Luana Medeiros Motta; a filha do senador Roberto Rocha (PSDB-MA), Amanda Cristina Diniz Rocha; e o filho do senador Elmano Férrer (PP-PI), Leonardo Fortes Férrer de Almeida. De acordo com o portal, eles recebem salário bruto mensal de R$ 17,8 mil. Os vencimentos de André de Menezes Maron não estão disponíveis para consulta no sistema da Codevasf.

Em nota, a estatal disse que "o exercício de cargos de assessoria e gestão na Codevasf ocorre de acordo com as disposições da legislação aplicável e do Plano de Funções e Gratificações da Companhia, aprovado pelo Conselho de Administração." 

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO