Estudo citado por Bolsonaro não avaliou eficácia da cloroquina

Estudo citado por Bolsonaro não avaliou eficácia da cloroquina

Jair Bolsonaro foi ao Twitter reproduzir as palavras do eminente pesquisador Alexande Garcia a respeito de mais um estudo sobre a hidroxicloroquina.

“Milhares de vidas poderiam ter sido salvas caso a HCQ não tivesse sido politizada”, alegou o paladino da fosfoetanolamina e do nióbio.

Alexandre Garcia citou o estudo Arrhythmic safety of hydroxychloroquine in COVID-19 patients from different clinical settings, publicado na última quinta-feira (24). Segundo os autores, trata-se do maior estudo disponível avaliando o risco de arritmia cardíaca em pacientes tratados com hidroxicloroquina nos diferentes cenários clínicos: na UTI, em alas médicas e em casa.

O estudo foi liderado pelo pesquisador Alessio Gasperetti, do Centro Cardiológico Monzino, em Milão.

Foram avaliados 649 pacientes tratados com HQC entre 10 de março de 10 de abril, com idade média de 61 anos, em sete hospitais na Itália e outros países.

O estudo, porém, deixa muito claro ter avaliado o risco de a droga causar arritmia, mas não a eficácia em tratar a Covid-19. Veja você mesmo:

“(…) este estudo não foi alimentado nem planejado para avaliar a eficácia clínica da HCQ e, portanto, será interpretado de acordo”.

Essa parte o presidente não leu.

Leia mais: O ex-advogado dos Bolsonaro: um lobista milionário no Planalto
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 67 comentários
TOPO