Eugênio Aragão se associa a ex-advogado da JBS preso

Eugênio Aragão, ex-ministro da Justiça de Dilma, abriu um escritório de advocacia em Brasília e firmou parceria com o advogado Willer Tomaz.

Tomaz foi preso em maio sob acusação de pagar propina ao procurador Ângelo Goulart para vazar investigações do MPF para a JBS.

Aragão foi subprocurador e brigou com Rodrigo Janot após anos de amizade. Ele vai atuar nos tribunais superiores.

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 8 comentários
  1. Esse Eugênio é aquele procurador petista que disse que a corrupção era normal e que até azeitava melhor a economia do país? Pelo costume que trouxe de casa o ex-procurador deve ter se especializado em habeas propinas, pixulecos infringentes, contestação moral, reconvenção ética e recursos ordinários constitucionais não contabilizados. É o advogado perfeito para Dilma.

    1. E, até outro dia, detentor de informações privilegiadas dentro da PGR!
      E ainda vai atuar nos tribunais superiores, ou seja, só para “grandes” clientes!

  2. Essa é nossa PGR Vermelha…o nosso MPF com seus procuradores que ganham quase 100 mil reais por mês e não se dão por satisfeitos
    O BRASIL é uma VERGONHA…são 30 anos de aparelhamento pela ESQUERDA
    E de EMPRESÁRIOS que só ficam RICOS com o Capitalismo de Estado e com o nosso dinheiro do BNDES pago pelos impostos dos brasileiros
    Eugênio Aragão ex-Ministro da Justiça de DILMA sempre foi o melhor amigo de Rodrigo Janot
    “Trabalhou” para elege-lo PGR, naquele telefonema LULA deixa bem claro que mexeu seus pauzinhoss para colocar JANOT: “Será que ele esqueceu o que fizemos por ele”
    ARAGÃO colocou JANOT na parede e pediu que vingasse DILMA o acusando de traição
    Ai na Procuradoria do PGR mais BANDIDO da história, duas gangues lutavam para receber a PROPINA da JBS para livrar os irmãos Friboi da cadeia
    Angelo Goulart e Willer Tomaz tentaram e quase conseguiram
    Mas o vencedor mesmo foi Marcelo Muller braço direito de JANOT que recebeu 27 milhões de PROPINA travestidos de honorários advocatícios para VENDER a LavaJato com a ajuda LUXUOSA de Fernanda Tórtima irmã do Ministro Barroso
    Tudo sob a benção de JANOT que curiosamente “NÃO SABIA DE NADA”, mas seria sócio de MULLER no futuro