Euros de Pezão são ‘recordação’, diz advogado

Flávio Mirza, advogado de Luiz Fernando Pezão, disse a O Globo que os dólares, euros, pesos colombianos e outras moedas encontrados com Luiz Fernando Pezão na cadeia são uma espécie de “recordação”.

De acordo com Mirza, o ex-governador do Rio já estava com as cédulas na carteira quando entrou no presídio.

“Ninguém escolhe usar peso colombiano para corromper alguém em um presídio brasileiro”, alegou o advogado.

Operação Lava Toga: a chance de limpar o Judiciário. SAIBA MAIS

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 44 comentários
  1. Ñ, ñ, ñ, ñ, essa justificativa é muito fajuta, qualquer preso q adentra ao presidio, é revistado e é obrigado a entregar tudo, só é encaminhado p/sela c/ os pertences permitido, logo, tem cum

    1. advogado hoje é cúmplice do cliente e zomba da inteligência alheia. a OAB tornou-se defensora da impunidade, pois os clientes q pagam seus honorários são os bandidos. HONESTO não comete crime.

  2. Desculpinha mais idiota. Será q está faltando criatividade aos advogados dos corruptos ou conseguiram os diplomas por obra do “Espírito Santo”. Eta turminha ruim de serviço e boa para os honorá

  3. Passaram a vida mentindo e enganando todo mundo,agora nao conseguem largar o vicio.Levou essas moedas ao presidio pra criar uma rede internacional dentro da cadeia,ele de chefe.Incorrigivel.

  4. KKKK quer dizer que quando um condenado é preso não fazem revista e recolhem os pertences que se encontram com o mesmo? é isso mesmo? quer dizer que entra para a cela com celular, canivete ou até

    1. o canalha de toga é o advogado q se tornou juiz. o berço é a OAB q defende bandidos e a impunidade para receber hons. Vira cúmplice deles. OAB = STF, a vergonha nacional, ressalvados os bons advog

    1. ele vira cúmplice, pois é dos bandidos q eles recebem hons. gente honesta não comete crimes, não dá dinheiro ao criminalista. além de cúmplice ele vira refém do crime. imaginem ser advogado do

    1. que tal um PEZÃO no traseiro deste “ADEVOGADO” de porta de cadeia q debocha da nossa inteligência. Eu jamais defenderia bandido, pois não aceitaria ser cúmplice e refém de criminosos. VERGONHA

  5. Essa merece o Troféu Joinha. Como se ninguém soubesse que o preso é obrigado a entregar seus pertences ao dar entrada na prisão. Lá é diferente? O preso entra com a carteira cheia assim?