ACESSE

Ex-capitão do Bope, sobre Queiroz: "Eu apostaria que é homem do Jair"

Telegram

Em uma entrevista à Crusoé, o ex-capitão do Bope Rodrigo Pimentel, que inspirou o personagem principal de “Tropa de Elite”, explica o risco que as milícias representam para a política – e conta o que sabe sobre Adriano da Nóbrega, Fabrício Queiroz e sua relação com a família Bolsonaro.

“Eu sinceramente até hoje não consigo entender a relação, apesar de conhecer o Flávio [Bolsonaro] pessoalmente. Até ajudei o Flávio na campanha para senador, pedi voto. Não consegui perguntar para o Flávio por que ele deu espaço para a família do Adriano [o miliciano Adriano da Nóbrega, morto em fevereiro, acusado de chefiar o Escritório do Crime] no gabinete dele. Mas acho que ele responderia que é relação do [Fabrício] Queiroz, que o Queiroz indicou e tal”, afirmou Pimentel.

“A última vez que vi o Adriano foi em 2013. Eu estava na Ilha do Governador. Estava em um restaurante aguardando um garçom e entra o Adriano, acompanhado de umas dez pessoas, pelo menos. E eu logo percebi que eram bandidos. Todo mundo mal encarado, camisa larga, pistola escondida na cintura. Eles estavam fazendo a segurança do Adriano. Aí ele veio até mim, me cumprimentou. Ele gostava de mim. Eu não perguntei o que ele estava fazendo, mas ele disse que estava tomando conta das kombis e vans da Ilha do Governador. Acontece que elas pertenciam a um traficante famoso. Se ele estava tomando conta delas, era porque tinha tomado as kombis e as vans dos traficantes. E para tomar isso do traficante tem que ter muita disposição. Tem que chegar com uma equipe de pessoas valentes e dispostas a morrer. Aquilo me chamou atenção. Ali eu sabia que ele estava em uma parada muito errada.”

Perguntado se Flávio Bolsonaro sabia de tudo isso, ele diz:

“Como é que o Flávio e o Queiroz não sabiam disso? Ou o Queiroz não sabia, ou então o Flávio deixava mesmo o Queiroz pilotar o gabinete. Até hoje não sei se a ligação do Queiroz com o Flávio é maior com o Flávio ou maior com o pai. Se você perguntar se o Queiroz é um homem do Flávio ou do Jair, eu apostaria que é homem do Jair.”

Leia aqui a entrevista completa.

Leia mais: Comprovação do elo entre a Presidência da República e o gabinete do ódio complica Bolsonaro. Clique e leia

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 110 comentários