Assine
Acesse
Acesse o Antagonista+ Acesse a Crusoé

Ex de Valdemar: "Centrão vai sugar governo e abandonar Bolsonaro até junho"

Maria Christina Mendes Caldeira afirmou que o grupo vai apoiar quem tem mais chance de se eleger nas eleições presidenciais de 2022
Ex de Valdemar: “Centrão vai sugar governo e abandonar Bolsonaro até junho”
Reprodução/Youtube/Focus Brasil

Maria Christina Mendes Caldeira (foto), ex-mulher de Valdemar Costa Neto, dono do PL, afirmou, em entrevista ao Correio Braziliense, que, se ficar claro que Jair Bolsonaro não tem chances de reeleição, o Centrão vai “sugar” o governo e deve abandonar o presidente até junho de 2022. 

“Claro que vai [abandonar]. Na hora que ele for ‘rei posto, rei morto’. Só que eles vão mamar até a hora que perceberem que não vale mais a pena. Mas, enquanto Bolsonaro for o cara que assina e libera as coisas, tudo bem. Eu dou, no máximo, até junho do ano que vem para o Centrão estar fora do governo. Esse grupo vai apoiar quem tem mais chance de se eleger. Como é a equação política do Centrão? Onde eu ganho mais e onde eu ganho com certeza. Eu não sei se Bolsonaro se reelege, ele é muito doido.”

Maria Christina vive atualmente em Miami, onde está sob proteção de autoridades locais. Em depoimento à CPI do Mensalão, durante o governo Lula, ela revelou esquemas de corrupção, como uma doação de US$ 5 milhões que teria sido feita por Taiwan à campanha do do então presidente para que o Brasil reconhecesse o país asiático independentemente da China. Valdemar foi preso, e ela teve que deixar o país.

Na entrevista, Maria Christina afirmou que o presidente do PL é “puro sangue do Centrão, é o cara que melhor opera hoje no Brasil, tanto que continua dando as cartas”. Ela também fez críticas a Jair Bolsonaro:

“Ele foi a vida inteira do baixo clero [do Congresso], ele tem uma formação mental meio limitada. Com ele [na Presidência], o Brasil virou uma coisa meio assim, aquele filme da república das bananas. Quando leio sobre o Brasil, me sinto um pouco vendo aqueles filmes de comédia, tragicomédia.”

Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO