Ex-deputado, promotor da vacina russa no Brasil nega influência política

Ex-deputado, promotor da vacina russa no Brasil nega influência política
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Rogério Rosso, o ex-deputado do PSD responsável pela oferta da vacina russa Sputnik V ao Brasil, disse à Folha que “uma grande coincidência” ajudou o imunizante e negou influência política no assunto.

A Sputnik V (pronuncia-se “vê”) passou a ser chamada de “vacina do Centrão” desde que o governo de Jair Bolsonaro mostrou interesse nela —há a possibilidade de que a Anvisa autorize seu uso mesmo sem ensaios de fase 3 feitos no Brasil.

Rosso, que era próximo de Eduardo Cunha e chegou a ser governador interino do Distrito Federal, hoje é diretor de Negócios Internacionais da União Química, laboratório paulista que é parceiro do governo russo.

O ex-deputado disse ao jornal paulistano: “A vacina é boa e tivemos uma grande coincidência em nosso favor”.

Segundo Rosso, um dos países que ele visitou pela União Química foi justamente a Rússia (“queríamos montar uma rede para nossos produtos veterinários”), e isso fez o governo russo entrar em contato com o laboratório durante a pandemia.

Resultados preliminares da fase 3 publicados pela revista The Lancet apontaram eficácia de 91,6% da Sputnik V contra casos sintomáticos de Covid-19.

Leia mais: Assine a Crusoé, a revista que não tem medo de apontar os verdadeiros culpados pelas mazelas brasileiras.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO