Ex-executivo da Odebrecht faltou com a verdade em delação, diz MPF

Entre os pedidos do MPF nas alegações finais do caso do Instituto Lula, está a desconsideração do acordo de delação do ex-executivo da Odebrecht Paulo Ricardo Baqueiro de Melo, “de modo a que lhe sejam aplicadas todas as sanções legalmente previstas”, registra a Folha.

Os procuradores da Lava Jato alegam que Paulo Melo “desatendeu as obrigações assumidas, por ter faltado com a verdade e omitido informações relevantes de que dispunha para a completa elucidação dos fatos ilícitos”.

De acordo com o documento, “a postura não colaborativa de Paulo Melo, que já se manifestara no primeiro interrogatório, restou ainda mais realçada à luz dos emails apresentados pela defesa de Marcelo Odebrecht, extraídos de seu notebook pessoal”.

Comentários

  • Paulo -

    Pau nele!

  • Francês -

    Oh glória. Esse desgraçado trabalhou para prejudicar os outros em benefício do patrão e acaba delatado pelo próprio patrão! Que apodreça na cadeia.

  • Luziana -

    A casa do malandro caiu!

Ler 20 comentários