Ex-mulher quer que ministro seja julgado no Supremo

A ex-mulher do ministro do TSE Admar Gonzaga pediu ao STF que a denúncia contra ele por lesão corporal seja mantida na Corte, onde há menos recursos contra eventual condenação.

Na semana passada, a PGR pediu que o caso fosse enviado à primeira instância, já que não tem relação com o cargo de ministro.

A defesa de Elida Souza Mattos diz que, ao julgar um ministro de tribunal superior, um juiz de primeira instância poderá ficar sujeito a interferências e pressões.

Bolsonaro Tem Até 29/3 Para Salvar a Sua Aposentadoria. Você precisa acompanhar de perto essa missão se quiser proteger seu patrimônio. LEIA AQUI

Temas relacionados:

Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem;
Tempo de publicação: 4 minutos

200

Ler mais 9 comentários
  1. Ao adotar este raciocínio, todos dos TRFs, STJ, TSE e STF teriam foro especial. Não tem funcionado. Não funciona. Nos tribunais superiores, os réus vão fazer pressão sobre os “companheiros”.