Ex-procurador-geral do Rio barrava investigação em véspera de ‘eventos políticos’

Telegram

O ex-procurador-geral de Justiça do Rio Cláudio Lopes, preso na última quinta-feira, “fazia diversas intervenções” junto à equipe da Coesf.

A afirmação é de uma promotora do Ministério Público do Rio:

“Em diversas ocasiões, a partir de 2009, a depoente pôde perceber que o então PGJ, Cláudio Lopes, fazia diversas intervenções junto à equipe da Coesf sempre procurando saber informações acerca do andamento das investigações que envolviam secretarias estaduais, muitas vezes solicitando que o andamento das investigações aguardasse eventos políticos importantes acontecerem, tais como, votação de orçamento, eleição para governador etc., notadamente nas investigações da Saúde e naquelas referentes à refinaria de Manguinhos”, relatou a promotora em depoimento.

O amigo de José Dirceu na corte de Bolsonaro. Saiba mais AQUI

De acordo com a denúncia, Lopes recebia mesada de R$ 150 mil do esquema de corrupção montado por Sérgio Cabral.

Comentários

  • Angela -

    brasilsilsilsil...oh país vergonhoso!cruz credo!

  • Adilson -

    Esses malditos agem sempre assim,em pontos especificos.

  • Rumanettto -

    Máfia maçonica em ação! Normal

Ler 26 comentários