Ex-secretário de Cabral admite propina de empresário

Telegram

Sérgio Côrtes, secretário de Saúde do Rio na gestão de Sérgio Cabral, admitiu a Marcelo Bretas ter recebido propina do empresário Miguel Iskin, também preso na Operação Fatura Exposta.

Segundo Côrtes, a propina consistiu em US$ 3 milhões e uma carteira de ações. O ex-secretário alegou, porém, que o dinheiro seria para uma eventual campanha –não realizada– e que, no cargo, não beneficiou nenhuma empresa de Iskin.

Côrtes já devolvera à Justiça Federal US$ 4,3 milhões em propina. Ele foi um dos participantes da “farra dos guardanapos” de Sérgio Cabral em Paris, em 2009.

É também o mesmo sujeito acusado de desviar dinheiro de próteses ortopédicas. E que disse a um de seus comparsas “nossas putarias têm que continuar”.

Comentários

  • CARIOCA -

    Quem é do RJ sabe, esse camarada tinha o maior cartaz na saúde como um grande gestor, honestidade a toda prova etc... Tudo falso, fabricado pelos meios de comunicação conviventes com o governo Sérgio Cabral(muitos) assim "gestaram" esse CAFAJESTE. Existem outros dessa gestação, tidos como assumidades mentirosas. Siro Darlan, Chiquinho da Mangueira, Cidinha Campos, ...

  • Sunda -

    Um dos maiores vermes que o Brasil conheceu. Lesa-pátria! Em vez de salvar vidas, matou muitos somente para encher o ku de dinheiro. vai arder no inferno, Pinduca FDP.

  • Araribóia -

    Esse é canalha das antigas!! Vejam isso Antagonistas, que intrigante. https://sergiocortes.blog/sobre/

Ler 8 comentários