Ex-secretário de Saúde do Rio fica calado em comissão na Alerj

Edmar Santos, ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro e considerado “homem-bomba” do governo de Wilson Witzel, participa na manhã desta segunda-feia (6) de sessão da comissão da Assembleia Legislativa (Alerj) que investiga os gastos do governo local durante a pandemia da Covid-19.

Acompanhado de advogado, ele tem permanecido em silêncio a cada questionamento feito pelos deputados estaduais.

“Reitero meu posicionamento anterior”, repete ele diante de novas perguntas.

Santos, investigado por desvios, foi exonerado do cargo em 17 de maio. Em seguida, ele tentou se garantir em um cargo na Secretaria Extraordinária de Acompanhamento da Covid-19, mas acabou se vendo obrigado a pedir demissão.

Ao suspender a nomeação dele nesse segundo cargo, no fim de maio, a juíza Regina Chuquer escreveu:

“Afasta-se desse atuar o administrador que, ao arrepio do princípio da impessoalidade, movimenta cargos e pessoas cuja reprovabilidade de comportamento permite a ilação de não ter atuado com probidade na gestão da coisa pública ou, em última ratio, não ter aplicado uma gestão eficiente e responsável capaz de impedir prejuízo aos contribuintes, caracterizado o desvio de finalidade a permitir a intervenção do Judiciário.”

Leia mais: A estratégia de Bolsonaro para chegar ao fim do mandato
Mais lidas
  1. Assessor de Mourão procura Congresso: "É bom estarmos preparados"

  2. Governo estima que mortes por Covid cheguem a 2 mil por dia

  3. AGÊNCIA DA ALEMANHA RECOMENDA QUE VACINA DA ASTRAZENECA NÃO SEJA USADA EM MAIORES DE 65 ANOS

  4. Defesa: leite condensado tem "potencial energético"

  5. "Mega epidemia daqui a 60 dias"

Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 9 comentários
TOPO