Ex-secretário fala em licitação 'fantasma' no Amazonas

No Covidão do Amazonas, a Polícia Federal encontrou áudio de abril em que o ex-secretário adjunto de Saúde Perseverando Garcia sugere fazer uma licitação “fantasma”. Segundo as investigações, era para o contrato de compra superfaturada de respiradores numa loja de vinhos.

“Por que eu não corro com um processo fantasma, cara? E aí faço o empenho, entendeu? É muito melhor do que empenhar sem nada e mandar pagar, não tem garantia, cara, nenhuma. Não tem amparo nenhum”, diz Perseverando.

A gravação, exibida hoje no Jornal Nacional, estava num grupo de WhatsApp chamado “Só nós aqui”. Dois depois, o então secretário de Saúde, Rodrigo Tobias, envia a Perseverando uma mensagem de áudio com o seguinte teor:

“Eu tô recebendo muitas demandas, e uma delas que eu quero canalizar é do governador, parece que ele tem um canal de um empresário aqui do Amazonas, o cara é grande. O cara tem bala na agulha e o cara se prontificou a fazer as compras pelo governo do estado. E a gente segue com o rito normal dos nossos processos e procedimentos para comprar dele, tá?”

O nome do empresário não foi revelado.

No Amazonas, a PF investiga a compra de 28 respiradores da loja de vinhos FJAP, sem licitação, por R$ 3 milhões. Segundo as investigações, a loja de vinhos comprou os equipamentos da empresa Sonoar e os revendeu para o governo do Amazonas com superfaturamento de 133%.

A Procuradoria-Geral da República diz que o governador Wilson Lima (PSC) é o chefe do esquema e a PF diz que também há participação do vice, Carlos Almeida (PTB).

Leia mais: Marco Aurélio e o caso André do Rap: como a lei (e a mais alta corte do país) pode ser usada para libertar um criminoso considerado perigoso?
Mais notícias
Comentários
Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 24 comentários
TOPO