Exclusivo: As notas fiscais da Politec

A PF apreendeu uma série de notas fiscais emitidas pela Politec para justificar a entrada de propina da Consist. Em seu depoimento, Alexandre Romano disse desconhecer “quaisquer serviços prestados pela Politec à Consist”. Ou seja, as NFs são frias. Romano disse que o contrato com a Politec durou dez meses. Foram embolsados R$ 2 milhões em pixulecos. A emissão das notas frias pela Politec coincide com o término das eleições presidenciais de 2010. Para a PF, o dinheiro teria sido usado para quitação de dívidas eleitorais.

A Politec é velha conhecida de escândalos de corrupção, tendo sido citada na CPI dos Correios, na CPI de Carlinhos Cachoeira (esquema Delta Engenharia) e na investigação da Caixa de Pandora, que levou à cadeia o governador José Roberto Arruda.

A Politec, no final de 2011, foi comprada pelo grupo espanhol Indra por R$ 224 milhões.

Veja mais em:

Exclusivo: A sucessora da empresa do “garçom de Lula”

Exclusivo: Politec faturou quase meio bilhão no governo PT

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200