EXCLUSIVO: CUSTO BRASIL SE APROXIMA DE DILMA

Em 2012, a imprensa noticiou que Dilma Rousseff queria implementar um sistema de gestão online para acompanhamento das obras no país. “É revolucionário”, dizia-se.

Testes já estavam sendo feitos pela Casa Civil sob comando de Gleisi Hoffmann. A ideia propagandeada por Dilma havia partido de Carlos Gabas, seu motoqueiro.

Os investigadores agora suspeitam de que Dilma, Gabas e Gleisi atuavam coordenados para beneficiar a Consist num contrato bilionário.

Em e-mail apreendido pela Policia Federal, Pablo Kipersmit, sócio da Consist, fala com Emmanuel Dantas, da Consucred, sobre a necessidade de marcarem uma reunião com “G” — que a PF suspeita ser Gabas.

Emmanuel diz: “A pessoa dele ‘G’ quer ter uma reunião com você a agente (sic), aí em SP”. Kipersmit responde: “Se ele vem (sic) próximo do horário do almoço prepararemos um serviço especial (vip), ok?”

No e-mail, segue anexa notícia do Valor de 22 de fevereiro sobre o projeto “Big Brother” de Dilma para obras do PAC.

O Antagonista sabe que a Operação Custo Brasil tem o potencial de uma bomba atômica. É só o começo.

Mais notícias
TOPO