Exclusivo: empresa investigada na Black Flag construiu parque de energia solar no Ceará

SteelCons, um dos alvos da operação deflagrada hoje pela Polícia Federal, anunciou, em 2018, investimento de R$ 1,25 bilhão no projeto
Exclusivo: empresa investigada na Black Flag construiu parque de energia solar no Ceará
Foto: Divulgação/Prefeitura de Limoeiro do Norte

A empresa SteelCons, um dos alvos da Operação Black Flag, deflagrada hoje pela Polícia Federal, foi a responsável por construir um parque de energia solar no Ceará. O investimento foi de R$ 1,25 bilhão, segundo a própria companhia anunciou em 2018.

O empreendimento, com capacidade de gerir 270 MW, seria construído em Tocantins, mas foi realocado para o Ceará depois que a empresa conseguiu contratos para a venda antecipada do projeto.

O suposto líder do esquema fraudulento, Rodolfo Portilho Toni, chegou a se reunir com o governador de Tocantins.

Ele se apresentou como dono da Sandylon Investimentos, offshore criada, segundo a PF, para receber o dinheiro enviado pelas empresas do grupo criminoso.

O parque energético foi vendido em janeiro de 2020 à incorporadora canadense Brookfield. O valor não foi divulgado.

 

Leia mais: Assine a Crusoé e apoie a o jornalismo independente.
Mais notícias
Comentários desabilitados para este post
TOPO