Exclusivo: Filho do vice-presidente do STJ recebeu R$ 25 milhões de alvo da 'Operação Jabuti'

Telegram

O escritório de Eduardo Martins, filho do vice-presidente do STJ, Humberto Martins, recebeu R$ 25 milhões da Fecomércio, segundo relatório de inteligência financeira obtido por O Antagonista.

Como O Antagonista já revelou, Eduardo Martins foi subestabelecido no contrato firmado pelo escritório do compadre de Lula com o então presidente da Fecomércio, Orlando Diniz, preso na Operação Jabuti.

O documento da Receita mostra ainda que o advogado Tiago Cedraz, filho do ministro do TCU Aroldo Cedraz, embolsou outros R$ 12,84 milhões, pagos pela Fecomércio.

O MPF precisa ir a fundo na atuação desses escritórios.

Depoimentos de ex-diretores da Fecomércio indicam que Orlando contratou Roberto Teixeira para resolver o que chamou de “problema político”, ao se referir à batalha jurídica travada pelo dirigente do Sistema S no Rio com o comando central da CNC.

O escritório Teixeira e Martins, sozinho, recebeu R$ 68 milhões da gestão de Orlando Diniz.

Comentários

  • Michele -

    Engraçado... Ninguém faz nada, absolutamente NADA com filhos de Ministros do STJ. A filha do João Otávio tá mais suja que pau de galinheiro, ostentando em Brasília de BMW, e ninguém faz nada. Isso é revoltante.

  • Paulo -

    Esse país é uma vergonha. Sem comentários, revoltante.

  • WandeC -

    Será que os escritórios de advocacia estão servindo para lavar o dinheiro da corrupção? E a OAB? caladinha?

Ler 67 comentários