Exclusivo: ‘Garçom’ de Lula foi indicado por Gushiken para receber propina

Alexandre Romano, o Chambinho, confirmou à PF que recursos desviados do contrato com o Ministério do Planejamento foram remetidos à CRLS, empresa de Carlos Cortegoso, que foi garçom do restaurante frequentado por Lula quando era líder sindical e que também é dono da Focal. Como já revelou o Antagonista, a Focal é suspeita de lavar dinheiro do petrolão na campanha de Dilma, da qual recebeu R$ 24 milhões. Quem indicou Cortegoso foi Luiz Gushiken, segundo Chambinho.

No depoimento à PF, Chambinho não deixa dúvidas quanto ao destino do dinheiro desviado pela Consist: os cofres do PT. “Seria um repasse para ‘ajudar eles’, ou seja o PARTIDO DOS TRABALHADORES”, disse o operador. Chambinho detalhou que dividia com Cortegoso nada menos que 22% do faturamento líquido da Consist. A PF questionou Chambinho sobre o motivo de ter repassado valores “tão altos” para a empresa de Cortegoso. Mas ele disse que não se lembra.

O Antagonista refresca a memória de Chambinho: Cortegoso, suposto destinatário da propina, é o garçom de Lula.

Eis um trecho do depoimento de Chambinho:


Até a gorjeta do garçom de Lula é superfaturada: 22%

Faça o primeiro comentário

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

1200