ACESSE

Exclusivo: Lava Jato rastreia 100 milhões do Postalis para Manguinhos

Telegram

Com base na delação de um dos operadores de Dario Messer, a Lava Jato investiga o suposto pagamento de propina na liberação de R$ 100 milhões do Postalis para a Refinaria de Manguinhos (Refit).

A refinaria pertence a Ricardo Magro, que já foi preso em duas fases da Lava Jato do Rio sobre outras operações fraudulentas no Postalis.

No caso de Manguinhos, o dinheiro saiu do fundo de pensão dos funcionários dos Correios para um fundo de investimento em ações da Perimeter Asset Management, do desconhecido Luís Roberto Maia Fragali.

Há uma curiosidade em relação a Fragali.

Em 2014, ele obteve uma importante vitória no STF ao conseguir que Gilmar Mendes anulasse decreto de Sérgio Cabral para desapropriação de Manguinhos.

O autor da liminar da Perimeter foi o advogado Paulo Stolf Cesnik, que defendeu Ricardo Magro em inquérito de 2010 sobre tráfico de influência de Eduardo Cunha junto à Braskem.

Cesnik teve como advogado em outra causa Gustavo do Vale Rocha, hoje assessor jurídico de Michel Temer e ministro dos Direitos Humanos.

Comentários

  • Sergio -

    Roubaram tudo que podiam da empresa e agora tenta empurrar a idéia pro povo que a única solução é privatizar. O que teria que ser feito é pendurá-los numa árvore pelos pés e obrigá-los a devorver tudo que roubaram caso contrário morreriam pendurados. Essa tinha que ser a pena pra quem rouba dinheiro público. E não aquelas de prisão domiciliar.

  • Fernando -

    Difícil distinguir esses atores da ORCRIM.

  • Cleverson -

    Quero ver rastrear os 130 de Paulo preto......

Ler 53 comentários