ACESSE

Exclusivo (1): "Meirelles não tem carisma nem voto, mas tudo muda"

Telegram

O Antagonista conversou com o deputado Marcos Montes, líder do PSD e um dos idealizadores da candidatura de Henrique Meirelles ao Planalto.

O deputado reconheceu que seu correligionário ainda não tem carisma nem votos, mas acha que tudo poderá mudar.

Veja o primeiro trecho da entrevista:

Como nasceu a candidatura do Meirelles?

“Estávamos conversando aqui na liderança e o Meirelles gosta de política. Na bancada sempre se falou que tínhamos dois ministérios (Comunicações e Fazenda), mas, na verdade, era apenas um, ‘porque o Meirelles é ele sozinho e pronto’, reclamavam alguns deputados. Aí resolvi convidar todo mundo para gente falar disso.”

Certamente o cenário embaralhado para 2018 favoreceu…

“Sim, claro. O Meirelles é um cara que tem potencial. E é do nosso partido. Então, olhamos uns para os outros e nos perguntamos: ‘Por que não tentarmos ser protagonista nessa história?'”

Que potencial é esse que o senhor diz que o Meirelles tem? Carisma?

“Não, carisma ele não tem. Mas isso se constrói. O poder constrói o carisma. Agora se a economia se viabilizar, principalmente com a retomada do emprego, tudo muda.”

Mas o senhor acha que ele teria votos, mesmo com a economia recuperada?

“Não, ele ainda também não tem votos. Só que muita gente que não tinha votos já ganhou eleição neste país. Meirelles não tem carisma nem voto, mas é candidato fortíssimo. O Brasil não está procurando algo diferente e que fuja do tradicional?”

Diferente? Ele foi ministro do Lula, foi do PMDB por anos, é ministro de Michel Temer…

“Mas é uma novidade como presidenciável. Vocês (a imprensa) não chegaram a considerar o (João) Doria um outsider? Eu acho que o Meirelles é, sim, algo diferente. Não é um (Jair) Bolsonaro da vida, um Doria da vida, que, ao meu ver, estão forçando a barra.”

Vamos dizer, então, que a economia se viabilize, e torcemos para que isso ocorra. E o Meirelles? Como viabilizar a figura do Meirelles?

“No almoço que a bancada teve com ele (em setembro), sentimos entusiasmo. Foi uma conversa muito afável. O Meirelles estava e está empolgado com a ideia de ser presidente.”

Mas ele e a assessoria negam a todo instante.

“A gente combinou que ele negaria. Primeiro, porque ele não pode se lançar candidato agora. Segundo, porque ele iria começar a apanhar. Ocorre que ele se antecipou, acabou dizendo que toparia ser vice, e não é isso. Se a economia der certo, como está dando, Meirelles é nome fortíssimo para cabeça de chapa. Posso lhe assegurar que ele sonha com o Planalto e tem alimentado essa ambição.”

Leia aqui os outros trechos da entrevista:

Exclusivo (2): Vem aí a ‘caravana’ do Meirelles

Exclusivo (3): “Combinamos com o Meirelles para ele falar em candidatura apenas em março”

Comentários

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem. Em respeito a todos os leitores, não são publicados comentários que contenham palavras ou conteúdos ofensivos. Tempo de publicação: 4 minutos
Ler 35 comentários