Exclusivo: O contrato de US$ 3,6 bilhões da Schahin

Depois da primeira fase de devassa nas obras das refinarias da Petrobras, o negócio de afretamento das sondas – sob tutela de Guilherme Estrella – já é considerado pela Lava Jato o novo eldorado das investigações da força-tarefa.

Obtido com exclusividade pelo Antagonista, o contrato da Petrobras para afretamento do navio-sonda Cidade de São Paulo, uma parceria Schahin/Modec, é a prova cabal disso: US$ 3.6 bilhões.

Calculem o valor da propina sobre esse contrato apenas.

O contrato foi feito por meio de offshores. De um lado a Guará BV, que pertence à Petrobras Holanda, e do outro a Guará MV23 BV, do consórcio Schahin/Modec.

O delator Salim assina o contrato com o irmão Milton.

Veja mais em:

Outro contrato da Schahin: US$ 1,5 bilhão

Propina sem amarras

Schahin e as taxas da propina

Faça o primeiro comentário