EXCLUSIVO: O NOVO ROTEIRO DA MARMELADA NO TSE

A marmelada no TSE agora tem o seguinte roteiro: antes da leitura do relatório de Herman Benjamin, será levantado um argumento preliminar de que o ministro deveria ter concedido mais cinco dias para a defesa de Dilma Rousseff, não apenas 48 horas.

Aceito o argumento preliminar, o julgamento será suspenso e só retomado na última semana de abril ou até mesmo em maio, depois que Gilmar Mendes voltar de uma viagem ao exterior.

Retomado o julgamento, o ministro Napoleão Nunes Maia Filho pedirá vista assim que Herman Benjamin terminar de ler seu relatório.

Napoleão permanecerá sentado em cima do processo indefinidamente. Já mandou até recado: “Podem bater, tenho o couro duro”.

Faça o primeiro comentário