ACESSE

Exclusivo: Parecer da FAB indica que Embraer 'salvou' Boeing

Telegram

Desde o início das negociações da Embraer com a Boeing, prevaleceu a tese de que a venda da área comercial (a mais lucrativa) era a única maneira de salvar a companhia brasileira. O parecer técnico da FAB, obtido com exclusividade por O Antagonista, indica o oposto.

A fabricante americana, segundo o documento, é que precisava do portfólio de aeronaves da Embraer para manter a posição de liderança no mercado mundial.

Uma aeronave com capacidade entre 100 e 150 passageiros; outra para transportar de 150 a 200, e ainda uma terceira “aeronave competitiva para a faixa de 200 a 250 passageiros, substituindo o B737 Max” (que virou um mico depois de recentes acidentes – o relatório da FAB é de dezembro de 2018).

O relatório ressalta ainda a necessidade da Boeing por engenheiros novos, já que seu quadro de profissionais “está envelhecido” e próximo da “aposentadoria”.

Leia também: “Exclusivo: Venda da Embraer Comercial condenará área de Defesa, diz parecer sigilo da FAB”

Você poderá OUVIR todas as 100 notícias diárias em O ANTAGONISTA+. Leia aqui

Comentários

  • Uirá -

    Se a Airbus atingisse sinergia e escala ao fundir com a Bombardier, isto significaria que ela reduziria seus custos e que ela seria uma ameaça tanto à Boeing quanto à Embraer.

  • ADONIS -

    Há certos argumentos que servem mais para adubar a terra que para alimentar debates. As pessoas deveriam pensar um pouco mais antes de escrever.

  • Fernando -

    Entre 200 e 250 passageiros a solução, discutida há bastante tempo, será o novo Boeing 797. Resta saber qual será o papel na Boeing Brasil na história e qual a missão do 797 como um todo.

Ler 75 comentários