EXCLUSIVO: SANTO CUNHADO

A Odebrecht contou para os procuradores da Lava Jato que Geraldo Alckmin, codinome “Santo”, recebeu 2 milhões de reais no caixa dois em 2010.

O repasse, segundo os delatores da empreiteira, foi costurado pelo próprio Geraldo Alckmin, e o dinheiro sujo foi entregue clandestinamente para seu cunhado, Adhemar Ribeiro.